Biossegurança: a palavra do momento quando o assunto é procedimentos estéticos

Embora ela já faça parte do dicionário da saúde há tempos, com a pandemia, ganhou um peso ainda maior

Você que gosta de tatuagem ou é adepto de procedimentos estéticos, como a micropigmentação (que está em alta!), sabe que a busca por um profissional que tenha boa reputação no mercado, com seu trabalho reconhecido, é fundamental para não cair nas garras de charlatões, não é mesmo?

Apesar de ser um dos primeiros itens na lista de quem procura por esses serviços, a reputação não deve ser considerada como critério de escolha isoladamente. Além dela, é preciso certificar-se de que o profissional atenda a todos os requisitos da chamada biossegurança. Mas, por quê? Porque é ela que garantirá, tanto para os profissionais quanto para os pacientes, a sua proteção durante os procedimentos, minimizando os riscos inerentes a eles, como uma infecção, por exemplo.

Casos graves de ausência de boas práticas relacionados à biossegurança envolvem infecções bacterianas que podem ocorrer no local, deformando a pele e o trabalho, trazendo graves consequências para as pessoas que tiveram o trabalho infectado por uso de material não estéril.

O risco pode estar nos materiais usados pelos profissionais como dermógrafos, alicates, espátulas, escovas, canetas, pincéis, máscaras, luvas, toucas, entre outros. Doenças como Hepatites B e C, Tétano, HIV e Herpes são riscos biológicos durante a micropigmentação.

Exemplo de micropigmentação com infecção por micro-organismos

Boas práticas – assim como os mais diversos segmentos da saúde, a área da estética e cosmética possui suas especificidades e normas em relação à segurança e à higiene do local de trabalho que, se forem seguidas à risca, proporcionarão uma boa imagem quando o assunto for limpeza e biossegurança. Isso revela o compromisso com a saúde do paciente e o bem-estar do próprio profissional.

Como se pode perceber, não basta ter conhecimento técnico e utilizar produtos de qualidade hoje em dia. Os cuidados com higiene, manipulação e conservação do seu material de trabalho são primordiais, ainda mais em tempos de pandemia!

Para ajudar você, listamos, a seguir, alguns pontos que devem ser observados e levados em conta na hora de escolher o profissional e o local para qualquer tipo de procedimento estético.

Organização e limpeza – a esterilização dos materiais e dos ambientes é essencial e deve ser executada rotineiramente. Inclusive, os produtos utilizados devem ser trocados, de tempos em tempos, para evitar que micro-organismos desenvolvam resistência e se proliferem. Tudo isso, considerando a legislação em vigor e obedecendo as normas sanitárias.

Equipamentos de Proteção Individual – os chamados EPIs da saúde são, geralmente, descartáveis e devem ser utilizados apenas uma vez para garantir a biossegurança. Nos procedimentos estéticos, é importante observar se o profissional possui: luvas, touca, jaleco, óculos, máscara, calçado fechado, lençóis e toalhas limpos.

O cuidado com a biossegurança evita que profissionais e clientes sejam contaminados durante os procedimentos por doenças como a hepatite B e C, herpes, gripe, tuberculose, micoses e AIDS, além de proteger contra produtos tóxicos que podem causar outros problemas e reações. Verifique se o seu tatuador utiliza os chamados EPIs descartáveis, como luvas, touca, máscara, lençóis e materiais limpos. Cuide-se!

Formação profissional – com o aumento da procura por procedimentos estéticos nos últimos anos, cresceu, também, a procura por cursos de capacitação e especialização na área. É preciso ter um bom embasamento teórico e muita prática para ser bem-sucedido, afinal.

Quando falamos em micropigmentação e tatuagem, por exemplo, é preciso que o profissional tenha conhecimento da fisiologia da pele humana, compreenda a ciência das cores e dos pigmentos que entram em contato com os mais diferentes tipos de pele, além de noções de simetria, medidas e procedimentos de biossegurança.

E mais: essa é uma área que requer um aperfeiçoamento contínuo, pois tudo muda em uma velocidade alucinante, novas descobertas são anunciadas com frequência e o profissional não pode ficar para trás diante das tendências de um mercado ávido por coisas novas, como é o brasileiro. Prova disso é o caso da própria micropigmentação, antes procurada apenas para o embelezamento e hoje, para corrigir, também, imperfeições como cicatrizes, delineamento de aréolas mamárias, entre outros.

Com todas essas informações em mãos, é só procurar um profissional comprometido com o seu trabalho, com sua biossegurança e a dos seus clientes e agendar o seu procedimento. Xô, charlatões!

Alguns profissionais também oferecem produtos fracionados manualmente para o cuidado do pós procedimento, recuse esses produtos, pois também oferecem risco de infecção, este tipo de fracionamento não é estéril e o produto recebido pode estar com micro-organismos agregados.

Para o melhor cuidado pós micropigmentação use o

Creme Suavizante Facial LONG LIFE Beauty

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s